domingo, 22 de maio de 2011

Ainda nem acredito que acabaram =)

Pois é as minhas aulas acabaram, mas ainda não sou licenciada. Ainda me faltam saber as notas, provavelmente terei de fazer um exame, escavar durante cerca de dois meses e meio, e ainda me falta em Setembro entregar um trabalho e um relatório, e só aí se tudo correr bem tenho o meu curso terminado, e vai saber tãããããããããããããããoooooooooooooo bem =)

Mas para já estou no que chamam de férias, oh yeahhhhhhhhhhhhhhhh

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Como não podia deixar de ser...


Tenho de dar os meus parabéns ao meu Porto que hoje conquistou a 4ª taça europeia da sua história =) e me deixou imensamente feliz, só tenho pena de o meu pai já cá não estar, pois ele estaria eufórico =)
Quero também dar os parabéns ao Braga pois foi um adversário de peso, e pelo seu percurso até ali, mostraram bem a raça dos bravos do nosso Minho (de onde o meu papá era).
E é de louvar ambas as equipas, pois foi a primeira vez que duas equipas portuguesas disputaram uma final da taça UEFA.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Como sou criativa :S

Hoje fiz um teste que inventei tanto, mas tanto que devia ter um 18 só pelo esforço e imaginação, isto é como quem diz, vou ter uma estrondosa negativa e vou ter de ir a exame :S

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Acreditar x vergonha

O mais dificil de voltar a acreditar é a vergonha de admitir que um dia deixou de fazer sentido para nós.

BAHHHHHHHHHHHHHHHHH

Estou tão absolutamente farta de estudar para a cadeira de Materiais Arqueológicos, quando chegar dia 20 de Maio até digo que é mentira :S

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Falta de aconchego...

Eu sou feliz, tenho o namorado mais maravilhoso do mundo que faz de mim a pessoa mais feliz do universo, estou a tirar (e prestes a concluir) um curso que adoro, tenho uma família 5 estrelas, temos as nossas guerrinhas, mas que se resolvem sempre, mas ultimamente sinto falta de um aconchego espiritual.

Eu explico, o meu pai morreu vai fazer dois anos, antes dele morrer eu acreditava em Deus, não tinha próriamente religião, mas era comum orar, raramente me deitava sem o fazer, tinha a minha fé, quando o meu pai adoeceu pedi, implorei, supliquei que o salvasse, quando vi que isso não iria acontecer, porque a doença estava já muito avançada, comecei a pedir que pelo menos ele não sofresse, no penúltimo dia de vida do meu pai, eu tive o pior dia da minha vida, o meu pai perdeu a noção das coisas, e gritava de dores, gritava pela mãe (e a minha avó coitada a chorara ao lado sem poder fazer nada para ajudar o filho), implorava que lhe tirassem as dores que eram horríveis (em 27 anos de vida nunca tinha visto o meu pai se queixar de uma dor, nunca se queixava, por muito mal que estivesse). Nesse dia estava absolutamente desesperada e implorei que parassem as dores, que as passassem para mim, sei lá que ele parasse de sofrer, o meu pai faleceu no dia seguinte, depois de literalmente se contorcer com dores durante um dia inteiro.
A partir desse dia nunca mais orei, e recusei-me a acreditar que existisse um Deus, que permitisse tanto sofrimento, daí em diante o meu pensamento foi Deus não existe e se existe está-se nas tintas para nós! Desde que o meu pai morreu que sonho constantemente com ele, vejo-o doente e a sofrer, e esses sonhos acabam comigo, acordo triste e  ando o dia todo de rastos,.  E ultimamente tenho vindo a sentir necessidade de dar um significado à morte dele, de acreditar que há mais para além disto, que um dia ainda vou abraçar o meu  pai(porque a saudade nunca passa, nunca adormece, nunca esquece), preciso de acreditar que um dia ainda vou ouvir a voz dele, preciso de acreditar que há Deus e que ele nos ama, mas que por algum motivo que desconheço não nos pode ajudar!

Preciso de acreditar...